Marcos Arruda facilita oficina sobre Teatro do Oprimido

Opressão pode ser definida como uma “falta de liberdade”, expressa de variadas formas. São barreiras que impedem alguém de ser uma pessoa, de constituir uma comunidade, de ter o suficiente para uma vida digna, de desenvolver seu próprio potencial. Para combater opressões por meio da arte, Augusto Boal criou o Teatro do Oprimido, uma metodologia internacionalmente conhecida que alia teatro à ação social. Discípulo de Boal e Paulo Freire, o educador Marcos Arruda, do Instituto Pacs, sai pelo mundo difundindo os ensinamentos dos mestres. Em janeiro, no dia 25, foi a vez de 120 alunxs e professorxs do Pierce College, em Lakewood, em Washington (EUA), entrarem em contato com a metodologia.

Marcos Arruda apresentou a oficina “Liberando nossos potenciais por meio do Teatro do Oprimido” como palestrante convidado. O evento teve a facilitação de Kathy Swart e contou também com a participação de estudantes de teatro, liderados pelo professor Patrick Daugherty. O grupo conduziu os participantes em exercícios clássicos e performances de Teatro do Oprimido, em que a plateia se transforma em “espectatores”.

Uma das participantes da oficina, Bobi Foster-Grahler, descreveu o momento como “um dos mais impactantes, interativos e transdisciplinares eventos dos quais tive o privilégio de participar em 22 anos como professor da Pierce College”. “As cenas finais sobre a opressão em torno de violência doméstica e agressão sexual realmente me atingiram de um modo que eu não tinha experimentado antes”, descreveu.

Saiba mais sobre o teatro do oprimido na apresentação de Marcos Arruda [somente em inglês]

MA-LiberatingPotentialsT.O.final

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 9 =