Instituto PACS e Actionaid lançam pesquisa sobre impactos dos investimentos da China no Brasil, Índia e África do Sul

Em parceria com a Actionaid, o Instituto PACS lança a pesquisa “Investimentos da China no Brasil, África do Sul e Índia: Arranjos Institucionais, Atores e Impactos“. O trabalho, coordenado pela professora Ana Garcia, do Departamento de Desenvolvimento Agricultura e Sociedade, da Universidade Federal Rural do Rio de janeiro (DDAS/UFRRJ) e sócio-colaborado do Instituto Pacs, traz dados sobre os maiores investimentos chineses nos três países; as principais empresas chinesas atuando em cada país por setor; os projetos envolvendo capital chinês; quem e que instituições (bancos, governos, empresas e comunidades locais) estiveram envolvidas em cada projeto; além dos possíveis impactos ambientais, sociais, trabalhistas e disputas envolvendo investimentos chineses no Brasil, África do Sul e Índia.

Em 2016, a China se tornou, pela primeira vez, o segundo maior investidor global, perdendo apenas para os Estados Unidos. O protagonismo gestado por décadas resultou de uma estratégia de desenvolvimento que deu destaque às políticas de promoção do investimento externo, numa economia de mercado fortemente guiada pelo Estado.

A pesquisa confirma que os investimentos chineses têm sido orientados por uma espécie de divisão internacional do trabalho: aqueles que miram a América Latina, África, Austrália e Ásia se concentram em energia, recursos naturais e suas respectivas infraestruturas. Já os investimentos nos EUA e Europa se destinam mais a serviços, telecomunicações, mídia e alta manufatura.

Nas primeiras regiões, esta lógica de desenvolvimento tem sido caracterizada pelo uso da terra, a super exploração do trabalho, flexibilização – quando não violação deliberada – das legislações ambientais e processos de privatização e expropriação de territórios.

Uma vez que, nesses casos, os impactos são vivenciados de formas distintas por homens e mulheres, a pesquisa aborda ainda o lugar delas nos grandes projetos de desenvolvimento viabilizados pelos investimentos chineses. Esta parte da publicação trata das condições de vida, trabalho e cidadania de mulheres no contexto da liderança da China nos BRICS.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 2 =