Festival sobre agroecologia promove espaço de debates e intervenções artísticas na região da Lapa, no Rio

O Festival da Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro – AARJ Metropolitana aconteceu na última quarta-feira (7) na Fundição Progresso e na Praça dos Arcos da Lapa, no centro do Rio de Janeiro. O evento contou com a presença de um público diversificado, além de uma programação com rodas de conversas, feira agroecológica, oficinas e intervenções artísticas e culturais.

Plenária da Regional Metropolitana da Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro (AARJ) | Foto: Instituto Pacs

O mote principal da atividade foi pensar estratégias de visibilidade para a agricultura na cidade. A Plenária da Regional Metropolitana, um dos braços  que compõe a AARJ, contou com a presença de mais de 80 pessoas de movimentos, institutos e organizações engajadas com o fortalecimento da agroecologia e da agricultura urbana no estado do Rio de Janeiro. Segundo Ana Luisa Queiroz, assessora técnica do Instituto Pacs, que faz parte da articulação, o festival foi pensado para dar a possibilidade de agricultores/as venderem seus produtos, além de atrair olhares de novos públicos para a pauta. “Foi uma maneira de fazer isso ser um fato político e conquistar um público diversificado.  Tinham pessoas que estavam la porque já sabiam, mas outras que estavam passando pela rua e resolveram parar. A Lapa proporciona isso”, conta.

Com cerca de 20 barracas, aconteceu a feira agroecológica Saberes e Sabores, com produtos diversos vindos do campo e da cidade, como alimentos, artesanatos e cosméticos naturais. A agricultora Giovanna Berti, integrante do Grupo de Trabalho de Mulheres da AARJ, destacou a importância da atividade por conta da demanda financeira da maioria dos trabalhadores rurais e urbanos no contexto atual. “Unir a discussão política com a questão da geração de renda é um fator que fez muita gente sair de casa e vir aqui”, afirma.

O festival contou com rodas de conversa e debates na Praça dos Arcos da Lapa, no Rio | Foto: Instituto Pacs

 

 

A programação incluiu ainda oficinas temáticas de alimentos veganos, regeneração de solo, fotografia, filmagem e podcast, bambolê, perna de pau e maracatu, destinado a um público de todas as idades. Além disso, aconteceram rodas de conversa, apresentações de música e dança e um desfile de peças das Mulheres Artesãs da Rede Economia Solidária e Feminismo Rio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 + 3 =