Biblioteca

Desenvolvimento em Debate

Acompanhando o padrão de crescimento econômico do conjunto da cidade do Rio, a Zona Oeste tem sido alvo, já desde a década de 1960, de um modelo de desenvolvimento de cunho “modernizante” e verticalizado, o qual acabou por atribuir à região sua suposta vocação industrial que perdura até hoje.

Nas diferentes frentes de atuação, o Instituto Pacs vem denunciando há quase 20 anos os impactos deste modelo na vida dos moradores  e, principalmente, suas consequências diferenciadas na experiência de mulheres, pequenos agricultores, pescadores e outras comunidades tradicionais da região. Como outras publicações da instituição ao longo deste tempo, “Desenvolvimento em debate – Questão urbana, resistências e alternativas agroecológicas na Zona Oeste do Rio de Janeiro” evidencia a característica exploratória da matriz de desenvolvimento imposta à Zona Oeste, responsável pela criação de demandas e dinâmicas locais desconectadas do dia a dia da população, que acabam aprofundando desigualdades.